Pão sovado, Provence ou tatu? Apelido é o que não falta para essa delícia

pão sovado

Esse tradicional pão teve origem na França e tem consistência especial

 

Pão sovado. Pão provence. Pão tatu. Pão de São José. Pão massa fina. Não importa o nome, o pão é o mesmo. E é uma delícia.

O pão sovado foi criado em Provença, na França, por isso também é conhecido como provence. Seu diferencial está no modo especial e mais trabalhoso de preparo. A massa precisa ser bastante sovada – e daí o nome mais popular – até que chegue ao ponto correto e adquira a textura característica.

Esse tipo de confecção deixa a massa do pão mais densa e mais duradoura. Ela dá uma sensação de saciedade maior do que a do pão francês, por exemplo. E a grande vantagem é que o pão dura alguns dias a mais sem ressecar, ficando sempre fresquinho e gostoso.

Por ter um sabor mais neutro, o pão sovado ajuda a deixar a imaginação solta na hora de combiná-lo. Ele pode ser acompanhado dos mais diversos ingredientes, sejam doces ou salgados, porque qualquer um deles vai dar certo.

Como ele é mais denso, é uma excelente opção para o café da manhã, pois sustenta por mais tempo. Mas nada impede que ele seja o protagonista de uma janta mais descontraída ou um lanche da tarde gostoso.

 

Tradição do pão de São José
pão sovado

O pão tatu é usado em várias regiões do Brasil e o nome é óbvio: seu formato lembra o animalzinho.

No Amazonas e no Centro-oeste, muitos o conhecem como pão massa fina. O São José fica por conta dos mineiros. Como muitos costumes de Minas Gerais, esse também é religioso. Não é só em Minas que ele é conhecido dessa forma, mas lá é mais comum ir à padaria com esse nome em mente.

Ele é, normalmente, produzido as vésperas da Solenidade de São José, marido da Virgem Maria, mãe de Jesus.