Croissant: conheça a história dessa receita lucrativa e saborosa

Croissant

Versão congelada da Costa Lavos oferece cinco opções de recheio

Com uma massa inconfundível, crocante, dourada e com um sabor amanteigado, o croissant geralmente faz sucesso por onde passa. O salgado se diferencia dos demais e permite recheios criativos e cremosos. Existem, inclusive, pessoas que gostam tanto de sua massa folhada que consomem apenas com manteiga.

Composto por diversas folhas finas de massa que se sobrepõem e garante maciez e sabor, o croissant é uma excelente opção para as pessoas que querem evitar salgados fritos. Justamente por isso, acaba sendo um produto indispensável para padarias que querem oferecer sabor e variedade para seus clientes.

Croissant Costa Lavos

O croissant Costa Lavos conta com cinco deliciosos recheios. São eles: calabresa, presunto e queijo, frango com requeijão, pizza e a opção doce de chocolate. Os produtos, que são de fácil armazenamento, ficam prontos em poucos minutos. Dessa forma, é possível ganhar mais tempo em seu preparo e oferecer a receita quentinha e crocante para os clientes. Além desse salgado, temos também deliciosos pães de queijo, baguete recheada e pão de frios, ideais para serem vendidos em padarias, mercados e quitandas.

Croissant

História do croissant

Ao contrário do que muitas pessoas pensam, o croissant não é de origem francesa, mas sim austríaca. De acordo com estudiosos, a receita foi criada em 1683 na capital Viena.

Naquela época, o império Otomano, considerado um dos mais fortes do mundo, queria expandir seu domínio na Europa. Mas, enfrentava grande dificuldade de entrar em Viena e cavavam túneis para chegar até o centro da cidade.

No entanto, alguns padeiros que ficavam acordados durante a noite preparando pães, descobriram o plano dos turcos e impediram sua realização. Muitas recompensas foram oferecidas, mas eles não aceitaram. Para comemorar a vitória contra os inimigos, eles criaram um pão com massa folhada em forma de meia lua. Assim surgiu o croissant, que foi nomeado de Kipfel ou Viennoiserie.

Mais tarde, em 1770, a receita foi para a França através da austríaca Maria Antonieta, que se casou com o Rei francês Louis XIV, mas levou a receita para se lembrar de sua terra e passou a chamá-la de croissant.

Mudanças na receita

O croissant é conhecido por ter uma massa com grande quantidade de manteiga. Mas, ele já teve muitas receitas. Nas primeiras, a massa era mais densa e pesada e se parecia com um pão comum. Apenas em 1900, um padeiro francês decidiu mudar e deixar a massa folhada e, por consequência, mais leve. Por isso, muitas pessoas pensam que a origem desse alimento é francês. Porém, eles apenas refinaram a receita original do povo austríaco.