Como a Costa Lavos garante a qualidade dos seus produtos?

Quando se fala em pães da Costa Lavos, tratamos o assunto como sinônimo de qualidade, já que em todos os processos, desde a escolha da matéria-prima até o consumidor final, levamos com responsabilidade e primando qualidade em nossos serviços.

Nosso processo produtivo começa por um sistema rígido de qualidade na escolha dos nossos fornecedores, que serão responsáveis pela entrega das matérias-primas. Trabalhamos com uma empresa de consultoria e auditoria de processos para garantir que todos os fornecedores sigam as normas estabelecidas pela Anvisa e garantam a qualidade e segurança que precisamos para manter o padrão da nossa produção antes mesmo de os contemplar como fornecedores homologados.

Após a conclusão do processo acima, entra a parte de negociação e compras. Trabalhamos com a política “ganha-ganha”, então primamos a qualidade e não apenas o custo reduzido, prezando assim um bom desenvolvimento das relações comerciais. Temos o melhor e mais adequado fornecedor, que atenda as necessidades gerais. Não aceitamos a vinda de chapas aqui, por exemplo. Quem vem realizar as entregas precisa estar devidamente uniformizado e preparado para a realização do serviço munido de seus devidos equipamentos.

Os produtos entram por dois canais diferentes, sendo um deles a entrada da matéria-prima base – a farinha -, e o outro de micro ingredientes, que compõem a receita de bolo. Eles são inclusos em um processamento de nossas receitas que serão elaboradas, com acompanhamento dos departamentos de qualidade e desenvolvimento, para a composição dos kits. Lá se encontram com farinha, água e o gelo. É importante dizer que todos os produtos que estão na receita já foram testados, independentemente de nosso fornecedor já ser homologado, o teste é realizado em cada lote.

Para os testes, trabalhamos com uma receita base (que é a massa da manhã), que norteia toda a produção de todos os produtos. Sendo aprovado o resultado deste teste, seguimos com a produção normalmente, mas caso algo dê errado, produzimos a receita novamente. Em casos negativos, entramos em contato com o fornecedor para as possíveis correções e adequações. Todo esse processo é documentado para facilitar na rastreabilidade do produto.

Com o teste já realizado e aprovado, finalmente batemos a massa na escala necessária, dividimos a produção e enviamos aos ULTRA congeladores. Por lá essas porções são embaladas de uma maneira sequencial, obedecendo a ordem do primeiro que entra é o primeiro que sai (PEPS), para serem posteriormente enviadas aos palets, que contém seis massas, que gira em torno de 15 mil unidades de pão. Esses pães ficam em um ambiente climatizado com dentro de caixas. Por fim, são enviados para as câmaras frigoríficas devidamente identificadas seguindo um padrão. Esse processo nos dá uma margem de segurança garantindo a qualidade.

Também fazemos um teste de retenção do produto final no setor de qualidade, para que só depois de aprovado liberamos para entrega aos clientes. É importante ressaltar que todos os caminhões que fazem as entregas são devidamente preparados para esse tipo de transporte, além de passarem por dedetização regularmente. A partir da entrega ao cliente, damos todas as instruções para a massa ser conservada de maneira adequada.  Costumamos dizer que é 50% nossa responsabilidade para um pão delicioso e os outros 50% dos cuidados de nossos clientes.